Alertas

Botulismo: o que é, como se transmite e como prevenir

02 outubro 2015

02 outubro 2015

Produtos da marca Origem Transmontana estão na origem de quatro casos confirmados de botulismo alimentar. Enquanto a ASAE continua as investigações, saiba o que deve fazer para prevenir esta doença rara que, se não for detetada e tratada a tempo, é potencialmente fatal.

Manifestações quase imediatas

Em qualquer das formas de botulismo, os sintomas têm um início súbito, normalmente entre 18 e 36 horas após a entrada das toxinas no organismo, mas, em certos casos, as manifestações podem surgir logo ao fim de quatro horas ou apenas oito dias depois (com a paralisia dos músculos). A velocidade a que os sintomas se verificam depende não só da quantidade de toxina que entra no corpo, mas também do tipo de botulismo. Geralmente, as pessoas infetadas sentem:
  • dificuldade em engolir ou falar;
  • dores de cabeça e/ou tonturas;
  • boca seca;
  • fraqueza nos dois lados da cara;
  • visão turva ou dupla;
  • pálpebras caídas;
  • dificuldade em respirar;
  • náuseas, vómitos e cólicas abdominais;
  • paralisia.

No caso do botulismo infantil, o primeiro sintoma costuma ser a prisão de ventre, seguindo-se depois uma gradual perda do tónus muscular que começa na cara e na cabeça e, por fim, atinge os braços, as pernas e os músculos respiratórios. Apesar de ser uma doença muito grave, normalmente não há manifestações ao nível da saúde mental.