Notícias

Bacalhau pronto a comer: higiene e conservação chumbam metade das refeições

18 dezembro 2014 Arquivado
Bacahau

Arquivado

Nalgumas lojas de conhecidas cadeias de supermercados, comprámos refeições de bacalhau. Quase metade apresenta má qualidade, devido a fabrico e conservação com problemas. Seis também falham na higiene.

Pense duas vezes antes de abandonar os dotes de cozinheiro por um dia e comprar comida já feita. Encontrámos à venda pratos prontos a comer à base de bacalhau de fraca qualidade. Nas zonas de Lisboa e do Porto, em 26 refeições prontas a comer, chumbámos 12. Refrigeradas ou aquecidas, a má conservação e higiene pesaram no resultado. Já enviámos os resultados para a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e para a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

Celeiro, Continente, El Corte Inglés, Jumbo, Pão de Açúcar, Pingo Doce e Super Cor nem sempre ficam bem na fotografia. Não encontrámos bactérias que ponham em risco a saúde de quem as consome, mas o panorama que encontrámos nas principais cadeias de supermercados revela falhas a vários níveis. Se para as restantes refeições os resultados foram positivos, faltam argumentos para os resultados não melhorarem. 

Basta não seguir um procedimento — por exemplo, mãos ou utensílios mal lavados — para a qualidade do prato ficar comprometida. Daí a importância das boas práticas de higiene. Não é admissível que uma refeição seja confecionada sem aplicar com rigor as regras definidas para a área da venda de alimentos. É fundamental apostar na prevenção e imperativo haver um controlo rígido de qualidade. A higiene, desde a fase de preparação até ao produto final, envolve instalações e confeção, manipulação e conservação.