Dossiês

Intoxicação alimentar fora de casa: como reclamar

01 julho 2020
Intoxicação alimentar fora de casa: como reclamar

Guarde a fatura, apresente as despesas médicas e testemunhas para provar que certos alimentos causaram uma intoxicação alimentar. Falta de higiene e falhas na conservação são as principais causas.

Dieta e muitos líquidos

Algumas intoxicações manifestam-se poucas horas depois de termos ingerido a comida contaminada. Outras demoram vários dias. Neste caso, é mais difícil descobrir o culpado. Os sintomas podem durar 1 a 2 dias ou várias semanas, consoante o microrganismo responsável.

Em geral, o diagnóstico é feito através da descrição dos sintomas. Se for necessário identificar o causador, por exemplo, porque o problema é muito grave, o médico pode prescrever análises laboratoriais ao sangue ou as fezes.

Quando as manifestações se resumem a vómitos, diarreia e um pouco de febre, o restabelecimento, em geral, é rápido e não requer cuidados especiais. Poderá, contudo, fazer dieta 1 ou 2 dias, para que os intestinos recuperem.

Carnes magras grelhadas, peixe branco, cenoura e maçã cozidos são boas opções para a dieta. O mesmo acontece com o arroz branco, pão tostado, banana madura e iogurte magro. Pelo contrário os cereais integrais, o leite, os citrinos e os legumes de folha verde devem ser eliminados. Os dois últimos são ricos em fibra, que acelera o trânsito intestinal.

Ingerir líquidos é essencial, para evitar a desidratação. Recomenda-se, no mínimo, um litro e meio a dois litros de água por dia, em pequenas quantidades, de modo a não vomitar. O chá preto açucarado, sumo de fruta diluído (exceto de citrinos) e a água de cozer arroz também podem ajudar. As soluções de reidratação à venda nas farmácias são dispensáveis, pelo menos, nos casos que não necessitam de intervenção médica.