Dicas

Conservar alimentos no congelador

Congelar alimentos só é possível com congeladores dotados de quatro estrelas. É o caso da maioria dos equipamentos à venda, nomeadamente os frigoríficos combinados de duas portas, assim como os “side-by-side” (também denominados americanos) e as arcas congeladoras verticais. Os de três estrelas servem apenas para conservar produtos previamente congelados. 

Ver resultados do teste a frigoríficos

O número de estrelas define também o prazo máximo de conservação dos alimentos nos congeladores, de acordo com as temperaturas atingidas no interior dos mesmos:

  • uma estrela (*) - temperatura até –6ºC. Conserva congelados até 1 semana.
  • duas estrelas (**) - temperatura até –12ºC. Conserva congelados até 1 mês.
  • três estrelas (***) - temperatura até –18ºC. Permite conservar alimentos previamente congelados até 1 ano.
  • quatro estrelas (****) - temperatura entre –18º e –24ºC. Quase todos os equipamentos atualmente à venda têm hoje quatro estrelas. São os únicos que permitem congelar. Conserva os congelados até 1 ano.

Prepare os alimentos

Quase todos os alimentos podem ser congelados. Saiba como prepará-los, para os ter sempre prontos a utilizar.

Carne e peixe

No caso da carne, retire os ossos, a gordura excessiva e os tendões. Antes de congelar o peixe, retire-lhe as vísceras, escame-o e lave-o bem. Carne ou peixe, corte as porções que pretende, tendo em conta o tipo de preparação culinária. Poderá colocá-las depois diretamente no tacho sem as descongelar.

Legumes e hortaliças

Os legumes e as hortaliças congelados podem ser utilizados mais tarde em sopas, refogados ou até em saladas, no caso da cebola ou da salsa, que se congelam cruas, depois de terem sido lavadas e picadas. Os restantes legumes devem ser previamente preparados (descascados, lavados e cortados) e escaldados durante um ou dois minutos em água a ferver. Esta fervura rápida destrói enzimas (as principais responsáveis pela degradação do alimento), reduz o número de microrganismos e permite manter a cor dos legumes. Por fim, passe-os por água fria, seque-os delicadamente com papel de cozinha e congele-os em sacos etiquetados.

Além de evitar desperdícios, permite dispor de legumes prontos a usar na hora. Este processo aplica-se a couves, brócolos, cenouras, abóbora, feijão-verde, grão-de-bico, milho, espargos, etc. Pode igualmente congelar salsa, coentros e ervas aromáticas em saquinhos individuais ou em cubos, usando para o efeito cuvetes próprias para cubos de gelo. O tomate pode ser congelado cru. Precisa apenas de o lavar e secar.

Os legumes ricos em água, como o pepino, a batata, a alface ou o rabanete não se prestam à congelação, já que este processo altera a sua textura. No entanto, caso se destinem, por exemplo, a purés ou sopas, poderão também ser congelados.

Fruta

Quase todos os frutos podem ser congelados para depois serem usados em sobremesas, sumos ou batidos. Esta informação é válida para banana, laranja, quivi, ananás, morangos, frutos vermelhos e com caroço, como os pêssegos e alperces, por exemplo. Descasque e corte a fruta em cubos, seque-a com papel de cozinha, disponha-a num tabuleiro e congele (para que os pedaços não fiquem colados). Transfira-os depois para sacos de plástico etiquetados. 

Frutos secos

Sabia que também pode congelar frutos secos, como avelãs, amêndoas, amendoins, pinhões, cajus e nozes? Após a abertura da embalagem, tendem a ficar rapidamente ranços. Congelados em sacos de plástico, conservam-se durante, pelo menos, um ano. Pode depois usá-los em bolos ou bolachas, por exemplo.

Pratos cozinhados

Alguns pratos cozinhados, como refogados, lasanha, sopas, etc., podem igualmente ser congelados. Evita assim desperdiçar as sobras das refeições. Pode também preparar mais doses do que as necessárias e congelar algumas porções para alturas em que o cozinheiro habitual da família esteja doente, ausente ou cansado. Alguns pratos prestam-se melhor ao processo de descongelação e aquecimento: é o caso dos que incluem molho. O arroz e a massa congelados ficam com uma textura mole pouco agradável, pelo que é preferível congelar numa caixa à parte os molhos e cozer uma porção de massa na hora de servir uma massa bolonhesa, por exemplo. Já as lasanhas não ficam a perder com o processo de congelação. No caso das sopas, ao congelar, não encha o recipiente até ao topo, já que, ao congelar, o volume aumenta.

Pão, bolos e pizas

Bolos, pizas, tartes ou pão também podem ser congelados, na versão pronta a consumir enquanto está fresca ou a própria massa crua. Embrulhe bem o alimento com película aderente, para evitar a formação de cristais de gelo, os quais poderiam queimar o produto. 

Use caixas herméticas ou sacos de congelação

Armazene os alimentos em recipientes hermeticamente fechados, de vidro ou de plástico. As bandejas de alumínio com tampa também são boas opções. Verifique nos símbolos gravados no fundo das caixas de plástico se estas são adequadas para a congelação. Para transferir os recipientes diretamente do congelador para o micro-ondas ou para o forno, tenha em atenção que deverão ser adequados para estas utilizações. E lembre-se de que as caixas de plástico, quando congeladas, são frágeis: se caírem ao chão, podem partir-se. Coloque uma folha de papel de forno por cima dos alimentos, para evitar que haja ar entre os alimentos e a tampa do recipiente: evita assim a formação de cristais de gelo sobre a comida, o que poderia afetar a cor, o sabor e a textura do seu prato. 

Para economizar espaço no congelador, pode conservar alguns alimentos em sacos de plástico próprios para congelação (fruta, legumes, pão). Achate o saco para retirar o ar antes de fechar a embalagem.

Coloque etiquetas com o conteúdo das embalagens e com a data de congelação. Arrume o congelador de forma lógica, com frutos e legumes de um lado, a carne e peixe do outro, por exemplo, e por prazos de validade, de modo a consumir os produtos mais antigos primeiro, para evitar desperdícios.

Quando voltar a abastecer o congelador com produtos novos, dê uma volta aos que já lá estavam, de modo a trazer para a frente os produtos mais antigos. Garante assim a sua utilização dentro do prazo.

Não encha demasiado as prateleiras ou as gavetas. Pense em deixar algum espaço entre os alimentos, para que o ar circule livremente e o aparelho funcione num modo mais eficiente.

Congele os alimentos frescos

Quanto mais frescos forem congelados os alimentos, melhor. Se o aparelho tiver a função de congelação rápida, acione-a quando se tratar de alimentos que estavam à temperatura ambiente. Quando chega do supermercado, arrume de imediato os produtos congelados. No congelador, é indiferente o local onde coloca os alimentos, pois a temperatura deverá ser uniforme em todo o compartimento.

Nunca introduza alimentos quentes diretamente no congelador. Deixe-os arrefecer antes de os guardar, mas não à temperatura ambiente. Se estiverem muito quentes, coloque-os, por exemplo, numa caixa de plástico e, de seguida, ponha-a dentro de um alguidar com água fria. Pode também colocá-los no frigorífico antes de os passar para o congelador.

No caso de cozinhados líquidos, como sopa, não encha o recipiente até ao cimo. Os alimentos dilatam com a congelação, podendo acabar por abrir a tampa.

Cerca de 12 horas antes de iniciar o processo de congelação, regule o termóstato de forma a atingir o ponto de máximo frio. Alguns aparelhos vêm já equipados com um botão para congelação rápida. Depois de pôr os alimentos no congelador, mantenha a temperatura durante mais 24 horas. A seguir, deverá voltar a baixar o termóstato para -18ºC. Os nossos testes revelam que vários equipamentos apresentam dificuldades em conseguir congelar alimentos nas primeiras 24 horas. Consulte os resultados no nosso comparador de frigoríficos.

Consumir até quando?

Antes de congelar alimentos frescos, identifique-os no saco e escreva a data de congelação. Consuma primeiro os mais antigos. Confirme o período máximo de conservação no congelador (a -18ºC): 

  • frutos (pera, maçã, morangos) e hortícolas (cenoura, abóbora) cozidos e arrefecidos: 12 meses.
  • bifes de vaca sem gordura, salsichas frescas, frango e peru: 10 meses.
  • queijos de pasta mole ou semimole (Azeitão, Serra da Estrela, brie): 8 meses.
  • pão, massa folhada ou quebrada, bolachas e crepes, manteiga, carne de porco pouco gorda, coelho, lebre e caça, peixe magro ou meio gordo (pescada, raia): 6 meses.
  • massas para pão e pizas, tartes de fruta, peixe gordo (atum, salmão, sardinhas, carapaus), marisco, sopas, sobras de pratos cozinhados (lasanha, bacalhau com natas): 3 meses.
  • hambúrgueres, carne picada, carne de porco gorda (toucinho): 2 meses.
  • bolos com creme: 1 mês.

Descongelar em segurança

Não deixe os alimentos descongelar à temperatura ambiente. Siga uma das seguintes opções:

  • coloque o alimento no frigorífico na véspera.
  • pode acelerar o processo de descongelação, passando o alimento por água fria dentro da embalagem fechada.
  • utilize o micro-ondas.
  • no caso de verduras ou de peixe, pode cozinhá-los diretamente.

Uma vez descongelado, deverá consumir o alimento o quanto antes. Não deve congelar um alimento duas vezes: perde as propriedades nutritivas.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

Num Mundo complexo e com informação por vezes contraditória, a DECO PROTESTE é o sítio certo para refletir e agir.

  • A nossa missão exige independência face aos poderes políticos e económicos. 
  • Testamos e analisamos uma grande variedade de produtos para garantir que a escolha dos consumidores se baseia em informação rigorosa. 
  • Tornamos o dia-a-dia dos consumidores mais fácil e seguro. Desde uma simples viagem de elevador ou um desconto que usamos todos os dias até decisões tão importantes como a compra de casa.
  • Lutamos por práticas de mercado mais justas. Muitas vezes, o País muda com o trabalho que fazemos junto das autoridades e das empresas. 
  • Queremos consumidores mais informados, participativos e exigentes, através da informação que publicamos ou de um contacto personalizado com o nosso serviço de apoio.

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Faça parte desta comunidade.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós