Notícias

Sopas refrigeradas são boa alternativa à receita caseira

Refrigeradas e de legumes, as sopas de supermercado atingem os mínimos de qualidade para quem prefere soluções culinárias instantâneas.

  • Dossiê técnico
  • Sofia Mendonça e Susana Costa Nunes
  • Texto
  • Deonilde Lourenço
27 março 2020
  • Dossiê técnico
  • Sofia Mendonça e Susana Costa Nunes
  • Texto
  • Deonilde Lourenço
Thumb_Sopas_2020

iStock

As sopas de legumes refrigeradas à venda nos supermercados são interessantes para quando há pouca disposição para cozinhar. Além disso, são baratas: custam, no mínimo, 2,49 euros e, no máximo, 4,57 euros por quilo. Nutricionalmente, cumprem o essencial para serem um elemento válido à mesa. O baixo valor calórico fá-las ainda ser aliadas das dietas de emagrecimento. As diferenças, porém, entre as sopas com e sem batata, são poucas. Por 100 gramas, e com base no rótulo, as primeiras oscilam entre 23 e 72 kcal, e as segundas, entre 21 e 23 kcal.

Estas sopas têm pouca gordura. Já os teores de fibra declarados, ou determinados, quando estavam ausentes, foram baixos. Seria desejável um pouco mais, mas tal explica-se pelos ingredientes das sopas analisadas: alho-francês, batata, cenoura, cebola, curgete, couve e nabo. Ora, as fibras no seu esplendor cabem às leguminosas, como o feijão, o grão e as lentilhas. Ainda assim, não despreze as fibras que um bom prato de sopa (cerca de 250 gramas ou duas conchas) fornece. O sal, esse tempero em relação ao qual é fácil acrescentar uma pitada, está dentro dos parâmetros aceitáveis.

No último dia do prazo de validade, procurámos vários microrganismos, que nunca encontrámos. Foram eles, para aferir a higiene, Enterobacteriaceae e Escherichia coli, e os germes patogénicos Staphylococcus coagulase positiva, Salmonella e Listeria monocytogenes. A qualidade microbiológica não é, portanto, motivo de reparo.  

As sopas refrigeradas passaram pelo crivo do paladar de um painel de consumidores, como também o aspeto, o odor e a textura, e não frustraram as expectativas. Além disso, todos os rótulos apresentam a lista de ingredientes e a declaração nutricional por 100 gramas, como exigido por lei, mas o mesmo não se pode afirmar sobre a indicação do teor em fibra. Nem os valores nutricionais por dose, nem o número de doses por embalagem constavam na maioria.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

Num Mundo complexo e com informação por vezes contraditória, a DECO PROTESTE é o sítio certo para refletir e agir.

  • A nossa missão exige independência face aos poderes políticos e económicos. 
  • Testamos e analisamos uma grande variedade de produtos para garantir que a escolha dos consumidores se baseia em informação rigorosa. 
  • Tornamos o dia-a-dia dos consumidores mais fácil e seguro. Desde uma simples viagem de elevador ou um desconto que usamos todos os dias até decisões tão importantes como a compra de casa.
  • Lutamos por práticas de mercado mais justas. Muitas vezes, o País muda com o trabalho que fazemos junto das autoridades e das empresas. 
  • Queremos consumidores mais informados, participativos e exigentes, através da informação que publicamos ou de um contacto personalizado com o nosso serviço de apoio.

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Faça parte desta comunidade.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.