Notícias

6 verdades e mentiras sobre o chocolate

Branco, negro, de leite, com frutos secos, licor ou frutas: chocolates há muitos e boatos sobre efeitos secundários também. Conheça o impacto do chocolate na acne e na dieta, entre outros.  

  • Dossiê técnico
  • Dulce Ricardo
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
16 novembro 2018
  • Dossiê técnico
  • Dulce Ricardo
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
chocolate

iStock

Os efeitos atribuídos ao chocolate são variados, mas nem todos são verdadeiros. Diz-se, por exemplo, que o chocolate provoca adição, o que não corresponde à verdade. No entanto, já é verdadeiro que o alto teor de gorduras e calorias pode refletir-se na balança e, por isso, há que comê-lo com moderação. Conheça alguns mitos e verdades sobre o chocolate.

O chocolate negro é mais estimulante e sacia mais

O chocolate é composto por cafeína, substância que estimula o sistema nervoso central. Estes componentes podem levá-lo a sentir-se mais desperto e enérgico temporariamente, mas consumidos em excesso podem provocar nervosismo e taquicardia.

O chocolate de leite contém 16 mg de cafeína por 100 gramas. A mesma quantidade de chocolate negro tem 64 mg. Se considerarmos que um quadradinho de chocolate tem 4 g, então 5 quadrados de chocolate de leite representam 3,2 mg de cafeína. Os mesmos 5 quadrados de chocolate negro contêm 12,8 mg de cafeína.

Quando comparados os vários tipos de chocolate, o negro parece ter um maior efeito saciante.

De acordo com um estudo científico da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA), um consumo de 400mg por dia de cafeina não levanta problemas para a maioria dos adultos saudáveis.

Sem adição ou efeito antidepressivo

O chocolate é, muitas vezes, consumido como uma forma de reconforto e gera satisfação, mas não é um antidepressivo.

São referidas, com frequência, as propriedades antidepressivas do chocolate devido à sua composição de magnésio (relaxante), cafeína e teobromina (estimulantes) e certas substâncias com efeitos próximos aos das anfetaminas, como a tiramina e a feniletilamina. No entanto, as quantidades são ínfimas para produzirem algum efeito antidepressivo ou aditivo. Nem os efeitos benéficos para o coração, atribuídos aos flavonoides presentes nos sólidos do cacau, se confirmam.

Mas é certo que comer chocolate dá prazer e esse ato traduz-se no aumento das betaendorfinas, um opiáceo natural. O seu consumo também provoca uma secreção acrescida de serotonina, que gera satisfação.

O chocolate provoca acne?

Apesar de muitas pessoas afirmarem que o consumo de determinados alimentos - como chocolate, azeitonas, batatas fritas, amendoins e refrigerantes - está relacionado com o aparecimento da acne, nenhum estudo mostrou que tipo de comida melhora ou piora a acne.

Os processos biológicos que a provocam ainda não são bem conhecidos. É um problema causado por um distúrbio das glândulas sebáceas que atinge grande parte dos adolescentes e algumas pessoas durante quase toda a vida. Fatores como a hereditariedade, desordens hormonais, ciclo menstrual, toma de medicamentos, alguns cosméticos (cremes gordos ou cremes de barbear com desinfetantes irritantes), irritações, humidade ou calor excessivos podem influenciar o aparecimento ou agravamento da acne.

Para prevenir o problema, o ideal é ter uma dieta variada, sem abusar de açúcares e de gorduras.

Um chocolate esbranquiçado está estragado?

Ao contrário do que parece, o chocolate é um produto bastante frágil que pode perder brilho e ganhar uma coloração mate esbranquiçada ou acinzentada quando não é bem conservado. Continua próprio para consumo, mas o aspeto e a textura tornam-no menos apetitoso. O fenómeno pode dever-se à formação de cristais de açúcar ou de matérias gordas.

A película esbranquiçada por cristalização do açúcar resulta, geralmente, de uma conservação em ambiente excessivamente húmido. O açúcar migra para a superfície, cristaliza e forma a película. Se quiser evitar essa alteração, guarde o chocolate num ambiente seco.

A película esbranquiçada por cristalização de matérias gordas é um problema menos conhecido, provocado pela gordura do cacau e do leite. Em contacto com outros ingredientes (como, por exemplo, bolacha e nozes no recheio), pode ocorrer uma migração de matérias gordas “estranhas” através do chocolate.

Para o manter apetitoso e com bom aspeto, guarde-o num lugar seco, arejado e ao abrigo da luz, a uma temperatura entre 18ºC e 20ºC.

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.