Notícias

Purés de fruta embalados: alternativa para dias apressados

Não substituem a fruta fresca, mas são uma opção saudável e barata para dar aos bebés a partir dos quatro meses. Leia a lista de ingredientes, para se certificar de que o bebé já provou todos os alimentos presentes no puré de fruta.

  • Dossiê técnico
  • Dulce Ricardo e Susana Costa Nunes
  • Texto
  • Deonilde Lourenço
15 setembro 2020
  • Dossiê técnico
  • Dulce Ricardo e Susana Costa Nunes
  • Texto
  • Deonilde Lourenço
Embalagens de pué de fruta

João Ribeiro

Está fora de casa e não tem como preparar a fruta para o seu mais pequeno? Os purés já feitos em bolsas são uma alternativa válida, nos dias mais apressados, para os bebés a partir dos quatro meses. Podem ser consumidos diretamente da saqueta ou com uma colher. Não substituem na plenitude a fruta fresca. Mas os industriais não ficam atrás dos caseiros. Além disso, o preço é acessível: entre 69 e 99 cêntimos por, no máximo, 120 gramas.

Analisámos os rótulos de 11 marcas de purés de frutas de banana e maçã em pacotes. Oito marcas indicam na embalagem a recomendação da idade para consumo: a partir dos 4 meses (Hero Baby, Nestlé e Spar) e a partir dos 6 meses (Blédina, Pingo Doce, Continente, Nutribén e Go Bio). 

O bebé pode comer os ingredientes do puré de fruta?

Leia a lista de ingredientes, para confirmar se o bebé já provou todos os alimentos aí presentes. Ao fazê-lo, minimiza o risco de reação alérgica. A tenra idade do público-alvo destes produtos aconselha a optar pelos que têm a lista mais reduzida de ingredientes. A não ser que seja preciso, nalguns casos, reforçar a vitamina C. De qualquer modo, mesmo sendo uma opção prática e rápida para consumir fruta, a prioridade é a fresca, uma vez que podem existir perdas vitamínicas decorrentes dos processos de confeção e embalamento. 

Segundo a Sociedade Portuguesa de Pediatria, os bebés podem iniciar a diversificação alimentar complementar ao leite a partir dos 4 meses, quando começam a ter maior estabilidade no pescoço e no maxilar, e quando o padrão primitivo de sucção se altera. A introdução da fruta pode ser realizada desde que o pediatra o indique. Devido à incapacidade para mastigação, nos primeiros meses, recomenda-se que as frutas sejam dadas em puré. A banana, a maçã e a pera são, normalmente, as primeiras frutas a introduzir, cozidas, assadas ou esmagadas (quando maduras), sem açúcar. A inclusão de outras variedades, devido à possibilidade de alergia, deve seguir a recomendação do médico de família ou do pediatra. Os citrinos, como a laranja e a tangerina, podem ser adicionados a partir dos 6 ou 7 meses, uma vez que as reações alérgicas tendem a ser periorais (à volta da boca) e raramente sistémicas. Para vigiar a reação, o mais seguro é adicionar algumas gotas de sumos a purés de fruta ou papas. Frutas tropicais, como a manga, a papaia e o abacate, têm lugar a partir do quinto ou do sexto mês, uma vez que não há evidência do seu maior potencial alergénico.   

O que está dentro do puré de fruta?

A quantidade de calorias dos purés embalados está próxima da de uma peça de fruta. 

Exclusivo Simpatizantes

Para ler, basta ter conta no site (disponível para subscritores e não-subscritores).

Entrar

Não tem acesso? Criar conta gratuita

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.