Dossiês

Salmão fumado, camarão e atum pouco sustentáveis: o que pode fazer o consumidor

02 dezembro 2016
Teste às políticas de responsabilidade social das empresas

02 dezembro 2016
As nossas investigações revelam que marcas de salmão fumado, camarão e atum têm poucas iniciativas ao nível ambiental e social. Em alguns casos, os direitos dos trabalhadores ao longo da cadeia de produção não estão acautelados. Saiba como pode contribuir para esta realidade mudar.

Início

Ao terem uma política de responsabilidade social, as empresas mostram que procuram ter uma boa conduta social e ambiental. Há muitos anos que a DECO PROTESTE investiga algumas produções para avaliar o nível de políticas de responsabilidade social nos diferentes setores de atividade. Este ano, avaliámos as marcas de salmão fumado, em 2013, de camarão e gambas, e, em 2010, de atum em lata.

Na produção de salmão fumado, verificámos práticas pouco corretas desde a aquacultura até a fase em que o peixe é fumado. No setor de produção de camarão e gambas não são respeitados os direitos básicos dos trabalhadores. No do atum, ainda há técnicas de pesca agressivas, o que significa que o futuro de algumas espécies ficará comprometido. 

O consumidor pode exercer pressão e protestar contra a falta de informação e de iniciativas sociais e em prol do ambiente. Pode, por exemplo, solicitar a disponibilidade de informação diretamente nas marcas, optar por produtos e marcas mais sustentáveis, evitar o consumo de espécies de exploração excessiva ou não comprar espécies em extinção ou onde se apliquem artes de pesca lesivas, como a pesca de arrasto. Sabia que a União Europeia é a maior importadora de camarão de aquacultura de países tropicais? Cada português consome, em média, cerca de 750 gramas por ano, segundo dados de 2011. Por exemplo, no caso do camarão e das gambas, ao optar pelas variedades com casca, o consumidor está a fazer uma escolha contra os abusos laborais, pois a nossa investigação revelou que muitos destes abusos, como o trabalho infantil, ocorrem na fase de processamento, que inclui o descasque.

No caso do atum, o melhor é comprar marcas que exibem símbolos que atestam que foram usadas técnicas de captura e produção sustentáveis. Por exemplo, o símbolo Dolphin Safe significa que foram usadas técnicas que não põem em causa a segurança dos golfinhos. Para o consumidor fazer uma escolha consciente, as marcas deveriam disponibilizar ainda no rótulo informação sobre as políticas de responsabilidade social e iniciativas onde estão envolvidas.

Imprimir Enviar por e-mail