Dicas

Leguminosas: nutrientes e criatividade no prato

06 abril 2020
leguminosas

O tremoço seco é da família do grão e do feijão. Só pode ser consumido depois de cozido e passado por várias águas.

O tremoço também é uma leguminosa

Da família do grão e feijão, o tremoço seco é rico em alcaloides naturais, substâncias tóxicas que lhe conferem um sabor amargo. Daí que só possa ser consumido depois de cozido e passado por várias águas. A cozedura inativa enzimas e elimina o poder germinativo. A passagem do tremoço por várias águas (lixiviação) retira-lhe o sabor amargo e os alcaloides. Este tratamento é feito industrialmente, pelo que o produto vende-se já cozido e conservado em salmoura.

Por cada 100 gramas desta leguminosa cozida e sem casca, obtém 15,4 g de proteínas e 9,4 g de fibra. Pelo contrário, não corre o risco de abusar da gordura, pois contém 1,1 gramas. Além disso, a gordura presente é sobretudo insaturada, menos prejudicial para a saúde. Os tremoços contêm ainda sais minerais, como cálcio, potássio e, em menor escala, ferro. Para quem come a casca, o valor nutricional é semelhante, mas com um pouco mais de fibra.

Atenção ao teor em sal

Só o teor em sal é problemático. Cada 100 gramas contêm 3,9 gramas. Assim, basta uma pequena dose sem casca (30 gramas) para ingerir um quinto da dose máxima diária recomendada de sal (cinco gramas). Um truque para contornar o problema: passe os tremoços por água corrente ou demolhe durante alguns segundos.

O tremoço é comercializado a granel ou embalado. No geral, poupa se optar por embalagens grandes, mas a granel fica mais barato. O calibre também faz variar o preço. O tremoço maior é mais caro por quilo do que o de calibre inferior.

Opte por embalagens guardadas em local fresco e ao abrigo da luz solar. Se escolher embalagens em vácuo, certifique-se de que estão intactas. Depois de furadas, o ar entra e a conservação fica comprometida. Guarde os tremoços no frigorífico, imersos no líquido de conserva ou em água com sal. Consuma, no máximo, em cinco dias.