Como testamos

Fiambre de peru: como testamos

17 janeiro 2018
fiambre

17 janeiro 2018
Higiene, conservação, rótulos e prova de degustação são alguns dos aspetos que temos em consideração no teste a fiambre. 

Testamos marcas para conhecermos a composição e a qualidade microbiológica. Analisamos as características físico-químicas, a higiene e os rótulos. Realizamos ainda uma prova de degustação

Em laboratório, procedemos à deteção e quantificação dos indicadores de qualidade e de higiene do fiambre e do peito de peru, ou seja, bactérias relevantes para a avaliação da qualidade microbiológica, nomeadamente a Enterobacteriaceae, Escherichia coli e Estafilococos coagulase-positiva, e patogénicos (Salmonella e Listeria mocytogenes).

Para colocar todos os produtos em plano de igualdade, as análises microbiológicas são realizadas sempre no final do prazo de validade. Também nas compras, e dado tratar-se de um produto perecível, temos em conta as devidas condições de transporte. O mesmo é feito em carrinha refrigerada e com a temperatura devidamente controlada, para não haver quebra da cadeia de frio.

Medimos a quantidade de sal, dado que o teor em cloreto de sódio permite tirar conclusões nutricionais.

Avaliamos os rótulos. Todos os produtos são avaliados com base nos mesmos parâmetros, ou seja: denominação do género alimentício, lista de ingredientes (incluindo os que provoquem alergias ou intolerâncias), quantidade de peru, data de validade, condições especiais de conservação e/ou as condições de utilização, fabricante, declaração nutricional e número de fatias, entre outros.

Realizamos uma análise sensorial. O painel de provadores é constituído por consumidores apreciadores deste tipo de charcutaria.