Notícias

$name

A importância de não sair de casa sem ingerir alimentos foi reforçada recentemente com um novo estudo: investigadores da Universidade de Nottingham verificaram que não tomar o pequeno-almoço leva ao aumento da comida ingerida ao longo do dia. O estudo também demonstra de que modo tomar a primeira refeição pode afetar as respostas metabólicas e hormonais às refeições seguintes.

Numa época em que se assiste ao fenómeno crescente da obesidade, recomenda-se o pequeno-almoço como estratégia para um peso adequado. Porém, não é claro se o peso corporal é diretamente influenciado pelo seu consumo ou se esta relação provém de outros fatores.

Os investigadores compararam, em 12 homens saudáveis, os efeitos de comer a primeira refeição face à sua não ingestão no consumo energético das refeições seguintes. Ao longo da experiência, realizaram-se análises ao sangue e registaram-se regularmente os níveis de apetite. Os investigadores descobriram que os participantes que comiam o pequeno-almoço consumiam menos cerca de 17% de energia ao almoço quando comparado com aqueles que não o tomavam, embora não houvesse diferenças na ingestão energética total. Os participantes que não comiam a primeira refeição da manhã também referiram sentir mais fome e menos “cheios” durante o período da manhã antes de almoçar.

Ignorar o pequeno-almoço teve um efeito adicional nas respostas metabólicas e hormonais: quem não tomou aquela refeição apresentou níveis mais elevados de glucose e insulina após um snack a meio da manhã.

Benefícios do pequeno-almoço
O pequeno-almoço, quando completo, evita fraqueza e perda de produtividade física e intelectual ao final da manhã. Pão ou cereais, leite, queijo (ou manteiga ou fiambre) e fruta fornecem o leque de nutrientes essenciais. O pequeno-almoço ajuda ainda a reduzir o apetite ao almoço, ao mesmo tempo que contribui para a distribuição saudável de calorias ao longo do dia. Tomar a primeira refeição do dia pouco depois de acordar é sobretudo importante para crianças e adolescentes por estarem em fase de crescimento. Ignorar o pequeno-almoço pode ter consequências negativas: hipoglicémia, impaciência e agressividade, dor de cabeça, perda de reflexos e maior propensão para acidentes em casa, no trabalho e ao conduzir.

Algumas pessoas têm dificuldade em comer o pequeno-almoço por falta de apetite ou por não serem capazes de comer após acordarem. Nestes casos, deve-se estimular gradualmente o apetite durante dias ou semanas seguidas. O ideal é começar com comida leve (chá ou infusões com tostas com manteiga ou compota, por exemplo) em pequenas quantidades e ir aumentando gradualmente a quantidade de comida.