Dicas

Obesidade infantil: é um exemplo para os mais pequenos?

23 janeiro 2013
obesidade infantil

23 janeiro 2013

A influência dos hábitos alimentares praticados em casa é decisiva na etapa pré-escolar. Conheça algumas técnicas para evitar o excesso de peso e a obesidade nas crianças.

Na Europa, uma em cada 5 crianças tem excesso de peso ou é obesa. Novos estudos sugerem que a influência dos pais e educadores é decisiva nas preferências alimentares da criança para a vida, se conseguirem marcar posição no período desde a introdução de alimentos sólidos até à entrada no primeiro ciclo do ensino básico, por volta dos 5 ou 6 anos.

Segundo a publicação “Food Today”, do Conselho Europeu para a Informação Alimentar, até àquela idade, as influências externas de colegas ou da escola são mínimas. Quando iniciam o primeiro ciclo, a maioria das crianças já desenvolveu as preferências alimentares e é mais difícil mudar.

Impor restrições à comida mais saborosa (com frequência, mais calórica) e pressionar para comer fruta e legumes tem, muitas vezes, o efeito contrário. Alguns estudos evidenciam que as crianças cujos pais limitam moderadamente aquilo que comem, ingerem, no geral, menos calorias, do que as crianças com pais demasiado ou muito pouco restritivos.

As recompensas por comer alimentos saudáveis não devem ser oferecidas na forma de alimentos menos saudáveis. Por que a motivação é importante, pode oferecer um autocolante ou um cromo, por exemplo.

Dicas para uma influência positiva

  • Estabeleça horários para as refeições em família.
  • Os adultos devem ser exemplos positivos e comer uma grande variedade de fruta e legumes. Envolva as crianças no seu consumo, assim que introduzir os alimentos sólidos.
  • Aumente a porção de legumes na refeição e sirva-os como primeiro prato.
  • Imponha alguns limites aos alimentos menos interessantes e ensine que todos podem fazer parte de uma dieta saudável, desde que nas quantidades adequadas.
  • Não desista dos novos alimentos: podem não agradar no imediato, mas tornar-se mais apelativos ao fim de 5 a 10 vezes.
  • A apresentação é tudo: inove no modo como serve os alimentos e no método de confeção.
  • Recorra ao elogio ou a uma recompensa não alimentar para premiar os bons hábitos, quando as crianças aceitam as frutas e os legumes ou os novos alimentos.