Dicas

Emagrecer depois dos excessos com 10 truques

04 dezembro 2017
emagrecer depois das festas

04 dezembro 2017

Páscoa, Natal e ano novo: não faltam festas e tentações para arruinar a dieta e adiar aquela resolução de perder peso. Siga o nosso plano de ataque aos quilos a mais.

Início

Não há volta a dar: para atingir o peso desejado, siga uma alimentação equilibrada e faça escolhas saudáveis. A pressa em perder aqueles quilos das festas em tempo-recorde leva muitas vezes a cair em tentação e a seguir dietas restritivas, nada aconselháveis. Para ajudar a atingir o objetivo, preparámos uma seleção de dicas.

Regras essenciais: ingira menos energia do que aquela que gasta, diminua o valor calórico das refeições e aumente o valor nutricional. Sónia Vieira, 43 anos, segue estas regras. Depois das iguarias festivas, esta técnica de formação profissional, diz que corta “radicalmente com doces e fritos, e pão só dia sim, dia não. Todas as bebidas gaseificadas e alcoólicas são abolidas do dia-a-dia.” Além destas restrições alimentares, Sónia calça os ténis e vai ao ginásio 2 vezes por semana. “Mas nem sempre cumpro… quando falho, tento compensar ao fim do dia com uma caminhada de meia hora. No inverno é muitas vezes um sacrifício, pelo que opto por percorrer a Estrada de Benfica, longa, movimentada e com montras.”

Lembranças calóricas vs. objetivos realistas

Experimente as nossas ideias para praticar mais desporto na plataforma FitMap e aposte em refeições saudáveis. Amêndoas, chocolates, folares. Doces típicos da Páscoa, embalados de forma atraente e prática, mas muito calóricos. Partilhe ou ofereça a familiares, amigos ou colegas de trabalho. Reforça relações e não ingere tantas calorias sozinho. O mesmo se aplica a outras tentações que ainda tenha em casa. A regra é simples: longe do nosso alcance, a tentação desvanece-se.

A vontade de emagrecer é tanta que, por vezes, se está disposto a tudo. Até mesmo seguir dietas loucas e restritivas, que, além de serem um risco para a saúde, têm um prazo limitado. Ainda que dependam da capacidade e da motivação de cada um, todos acabam por vacilar. Após alguns dias em restrição alimentar, surgem sinais de cansaço, fraqueza, desânimo, irritabilidade, desmotivação, levando a ingerir alimentos sem controlo. Sónia Vieira confessa que se sente ansiosa quando consome menos açúcar. “Quando corto com os doces, sinto que o corpo atravessa um processo de readaptação, e há ali um período de dois, três dias, em que sinto mais vontade de comer hidratos de carbono, por exemplo”. Além destes desejos alimentares, por vezes, sente uma leve dor de cabeça que também associa à falta de açúcar.

Definir objetivos irrealistas afeta a motivação, a principal aliada para perder os quilos a mais. Sem motivação, facilmente se desiste e compromete os resultados. De que vale fazer restrições alimentares severas, se, além de não cumprir a longo prazo, pode prejudicar a saúde? Por isso, é essencial definir metas que facilmente consiga atingir, sem recorrer a dietas extremistas. A mudança de hábitos deve passar pela reeducação alimentar para obter resultados duradouros.


Imprimir Enviar por e-mail