Dicas

Celulite: técnicas para atenuar

As promessas dos tratamentos

Para obter resultados, deve estar o mais próximo possível do seu peso ideal. A celulite e a presença de gordura localizada, apesar de serem problemas diferentes, podem por vezes ser tratadas com as mesmas técnicas.

Endermologia

É efetuada com um aparelho que produz uma intensa massagem do tecido adiposo, por meio de rolos, e recorre à sucção da superfície da pele. Existe alguma evidência que este método melhora a celulite, embora o efeito seja temporário.
 

Lipoaspiração

É a aspiração cirúrgica de gordura localizada no plano subcutâneo. É introduzida cirurgicamente uma cânula no interior da gordura e aspira-se a mesma. Esta técnica é mais focada na redução da gordura, e não tanto da celulite, sendo limitada a melhoria que se observa na superfície da pele. A fraca elasticidade da pele e a perda de peso ou de gordura subcutânea podem agravar a flacidez e piorar o aspeto "casca de laranja". Além disso, a lipoaspiração é um procedimento cirúrgico e, como tal, a decisão de a fazer não deve ser tomada de ânimo leve.

Radiofrequência

É uma técnica que, segundo alguns estudos, pode ser eficaz no rejuvenescimento do tecido, por produzir um aquecimento profundo da pele e da gordura subcutânea. Através do calor gerado, estimula-se a produção de colagénio, graças a um tipo de células chamadas fibroblastos. Ao apertar a pele, consegue-se reduzir o aspeto nodular causado pela celulite. Mas não se demonstrou ainda que a radiofrequência diminua a gordura.

Mesoterapia

Aplicação de múltiplas injeções intercutâneas de substâncias capazes de dissolver a gordura, tais como metilxantinas (cafeína, aminofilina ou teofilina), hormonas, enzimas, ácido desoxicólico, extratos de plantas, vitaminas e minerais. De todas estas substâncias, apenas a fosfatidilcolina demonstrou de uma forma consistente que pode dissolver a gordura. A mesoterapia não está isenta de efeitos secundários, como inflamação local, hematoma, infeção, urticária e aparência da superfície da pele irregular. A sua eficácia no combate à celulite é muito reduzida, de acordo com os estudos.

Carboxiterapia

Também chamada “terapia de dióxido de carbono” (CO2), envolve a aplicação de CO2 para fins médicos. Esta aplicação é feita com micro-agulhas, tal como na mesoterapia. O CO2 é um gás que tem um efeito vasodilatador, favorecendo a microcirculação e, portanto, a eliminação de celulite. Entre os efeitos secundários possíveis incluem-se vermelhidão, inchaço e hematomas nas áreas tratadas. Existe pouca evidência científica da sua eficácia.

Lipólise a laser

Consiste na introdução de uma fibra de laser na área de gordura a ser tratada. É uma técnica mais usada na redução da gordura, mostrando poucos efeitos sobre a celulite. Existem lasers que são aplicados externamente.

Criolipólise

A finalidade desta técnica é reduzir a gordura em zonas localizadas. O dispositivo arrefece a área de tratamento durante 1 a 2 horas, a uma temperatura de 3ºC a 6ºC. Este arrefecimento provoca a morte celular das células gordas (adipócitos). O seu efeito sobre a celulite ainda não é conhecido.

Cremes anticelulite

O nosso teste a nove produtos anticelulite, cada um em 30 mulheres, mostra que têm um efeito muito limitado a eliminar a chamada pele “casca de laranja”, não conseguindo, por exemplo, diminuir mais de três milímetros na circunferência da coxa. Veja os resultados do estudo.