Dicas

Celulite: técnicas para atenuar

12 outubro 2020
mulher a beliscar a pele na zona de celulite na coxa

Perder peso, beber muita água e fazer exercício físico ajudam. Os tratamentos podem atenuar o efeito "casca de laranja", mas não eliminam de vez a celulite. Conheça todas as dicas.

A celulite é um dos pesadelos da maioria das mulheres. Pode surgir em diferentes partes do corpo, mas geralmente localiza-se nas ancas e coxas, no abdómen, nos joelhos, nas pernas e nos braços. Caracteriza-se por um conjunto de alterações do tecido subcutâneo. Ainda não são claros os mecanismos que levam ao seu surgimento. Certo é que as alterações no tecido gorduroso sob a pele, em conjunto com variações na microcirculação e com o consequente aumento do tecido fibroso, influenciam o processo.

Outros aspetos contribuem para o agravamento do problema: fatores hereditários, alimentação desequilibrada, toma da pílula contracetiva, stresse, sedentarismo, tabaco ou causas hormonais. As hormonas, em especial as sexuais, têm capacidade para intervir no metabolismo lipídico e na distribuição da gordura no organismo.

O ideal é não ter excesso de peso. Emagrecer pode contribuir para a melhoria da celulite, especialmente quando está muito acentuada. No entanto, não existe uma relação direta entre obesidade e celulite: há pessoas que perdem peso e veem a sua celulite piorar.

Também é importante mudar o estilo de vida. Ficar 8 horas por dia sentada a uma secretária, com todos os músculos relaxados, entorpece a circulação e a oxigenação dos tecidos e favorece a formação de gordura excedentária. Beber água, assegurar um trânsito intestinal saudável, uma alimentação equilibrada e fazer exercício físico poderão contribuir na guerra à celulite.

Existem várias técnicas que ajudam a atenuar a celulite. Mas, quando há muitas soluções para o mesmo problema, é porque nenhuma se demonstrou superior ou se afirmou como um claro benefício em relação às outras. 

Tratamentos anti-celulite

Para obter resultados, deve estar o mais próximo possível do seu peso ideal. A celulite e a presença de gordura localizada, apesar de serem problemas diferentes, podem por vezes ser tratadas com as mesmas técnicas.

Endermologia

É efetuada com um aparelho que produz uma intensa massagem do tecido adiposo, por meio de rolos, e recorre à sucção da superfície da pele. Existe alguma evidência que este método melhora o aspeto da celulite, embora o efeito seja temporário.

Lipoaspiração

É a aspiração cirúrgica de gordura localizada no plano subcutâneo. É introduzida cirurgicamente uma cânula no interior da gordura e aspira-se a mesma. Esta técnica é mais focada na redução da gordura, e não tanto da celulite, sendo limitada a melhoria que se observa na superfície da pele. A fraca elasticidade da pele e a perda de peso ou de gordura subcutânea podem agravar a flacidez e piorar o aspeto "casca de laranja". Além disso, a lipoaspiração é um procedimento cirúrgico e, como tal, a decisão de a fazer não deve ser tomada de ânimo leve.

Radiofrequência

É uma técnica que, segundo alguns estudos, pode ser eficaz no rejuvenescimento do tecido, por produzir um aquecimento profundo da pele e da gordura subcutânea. Através do calor gerado, estimula-se a produção de colagénio, graças a um tipo de células chamadas fibroblastos. Apesar de alguns estudos indicarem que pode melhorar o aspeto da celulite, os resultados parecem ser provisórios e são necessários vários tratamentos para se obter uma pequena alteração. 

Mesoterapia

Aplicação de múltiplas injeções intercutâneas de substâncias capazes de dissolver a gordura, tais como metilxantinas (cafeína, aminofilina ou teofilina), hormonas, enzimas, ácido desoxicólico, extratos de plantas, vitaminas e minerais. De todas estas substâncias, apenas a fosfatidilcolina demonstrou de uma forma consistente que pode dissolver a gordura. A mesoterapia não está isenta de efeitos secundários, como inflamação local, hematoma, infeção, urticária e aparência da superfície da pele irregular. A sua eficácia no combate à celulite é muito reduzida, de acordo com os estudos.

Carboxiterapia

Também chamada “terapia de dióxido de carbono” (CO2), envolve a aplicação de CO2 para fins médicos. Esta aplicação é feita com micro-agulhas, tal como na mesoterapia. O CO2 é um gás que tem um efeito vasodilatador, favorecendo a microcirculação e, portanto, a eliminação de celulite. Entre os efeitos secundários possíveis incluem-se vermelhidão, inchaço e hematomas nas áreas tratadas. Existe pouca evidência científica da sua eficácia. 

Lipólise a laser

Consiste na introdução de uma fibra de laser na área de gordura a ser tratada. É uma técnica mais usada na redução da gordura, mostrando poucos efeitos sobre a celulite. Existem lasers que são aplicados externamente. 

Criolipólise

A finalidade desta técnica é reduzir a gordura em zonas localizadas. O dispositivo arrefece a área de tratamento durante 1 a 2 horas, a uma temperatura de 3ºC a 6ºC. Este arrefecimento provoca a morte celular das células gordas (adipócitos). O seu efeito sobre a celulite ainda não é conhecido.

Cremes anticelulite

Em 2018 realizámos um teste a nove produtos anticelulite, cada um utilizado por 30 mulheres. Os resultados mostraram que os produtos têm um efeito muito limitado a eliminar a chamada pele “casca de laranja”, não conseguindo, por exemplo, diminuir mais de três milímetros na circunferência da coxa.

É nosso subscritor e precisa de esclarecimentos personalizados? Contacte o nosso serviço de assinaturas. Relembramos ainda que pode aceder a todos os conteúdos reservados do site: basta entrar na sua conta

Se ainda não é subscritor, conheça as vantagens da assinatura.

Subscrever