Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.
ver mais sobre cookies
ok, continuar
Universo DECO:
Alertas

Dieta Dukan: não funciona em 80% dos casos

25 Julho 2011
Dieta Dukan: não funciona em 80% dos casos

A popular dieta Dukan recebeu um duro golpe com os resultados do primeiro inquérito alargado: ao fim de 4 anos, 80% dos pacientes recuperam todo o peso perdido com o regime.

O método do nutricionista francês Pierre Dukan promete perda de peso dramática e duradoura, mas tem acumulado críticas e avisos de autoridades de saúde e científicas.

Tanto a Agência de Segurança Alimentar e Nutrição como a Associação Espanhola de Dietistas e Nutricionistas consideram pertinente alertar para os efeitos nocivos da dieta Dukan, cada vez mais popular devido a uma estratégia de marketing inteligente e forte presença dos livros de Pierre Dukan nas lojas.

Também na França, os especialistas da Agência Nacional de Segurança Alimentar desencorajam o consumidor a aderir a este "regime desequilibrado” e chegam a associá-lo ao possível desenvolvimento de cancro e de doenças cardiovasculares a longo prazo.

Mais perigos do que milagres
A dieta do nutricionista francês tem 4 fases. Resumidamente: a primeira corresponde à ingestão só de alimentos proteicos (por exemplo, carne de vaca, peixe e marisco), na segunda além dos alimentos proteicos introduzem-se também os legumes, a terceira é a chamada fase de à consolidação do peso perdido nas fases anteriores (reintroduz-se alimentos excluídos, como pão, queijos, massas, arroz, frutas e batatas) e a quarta à estabilização.

Mas os riscos da perda rápida de peso superam as vantagens:

  • além de gordura, perde muita massa muscular (e com ela, força e saúde);
  • após uma privação severa, o organismo aprende a lição e reage assimilando melhor as calorias. Antecipando a futuras dietas, o corpo usa a breve pausa concedida para reconquistar as reservas perdidas. É possível recuperar todos os quilos perdidos em pouco tempo e ainda ficar com mais peso do que antes do regime;
  • perde-se muita água e submete-se o fígado e os rins a um esgotante trabalho de eliminação de resíduos (as proteínas geram mais do que os hidratos de carbono);
  • o fígado vai produzir maiores quantidades de corpos cetónicos, compostos químicos que, a partir de certos níveis, são tóxicos para as células nervosas;
  • prisão de ventre devido à falta de fibras, vitaminas e minerais;
  • fadiga e cãibras musculares pela falta de açúcares;
  • o próprio nutricionista reconhece nos seus livros outros efeitos secundários como mau hálito e sensação geral de cansaço.

Primeiro inquérito alargado sobre o método Dukan
A escassez de estudos científicos sobre o método de Dukan levou o grupo francês CCM Benchmark, reconhecido na investigação e informação sobre nutrição, a realizar um extenso inquérito. Principal objetivo: analisar se as pessoas que seguiram esta dieta (principalmente mulheres) foram capazes de perder peso e mantê-lo ao longo dos anos.

Cerca de 5 mil "dukanianos" responderam ao inquérito e os resultados foram publicados na revista médica Obésité, de junho. Os resultados falam por si.

Além dos efeitos secundários perigosos e contraindicações, a dieta Dukan serve para perder peso, por vezes, demasiado. Mas algum tempo depois todos os quilos são recuperados:

  • menos de 1 ano, em 35% dos entrevistados;
  • passado 1 ano, em 48% dos entrevistados;
  • após 2 anos, em 64% dos entrevistados;
  • após 3 anos, em 70% dos entrevistados;
  • após 4 anos, em 80% dos entrevistados.

Estes dados reforçam os resultados dos poucos estudos científicos anteriormente existentes sobre a dieta Dukan. Numa análise de 2009, as autoridades francesas foram ainda mais taxativas: 80% dos pacientes recuperam o peso durante no ano seguinte à conclusão do método Dukan. E o estudo de Anderson, de 2001, destaca que a recuperação de peso é acelerada nos anos seguintes.

Se não conseguir, a culpa é sua
O inquérito da CCM Benchmark apresenta um cenário pouco animador: quase metade das pessoas que aderem à dieta Dukan recupera o peso perdido após um ano. Outros dados indicam que, a médio e longo prazo, este método é tão ineficaz como outras dietas restritivas.

Uma das principais razões deve-se ao facto de muitos não conseguirem atingir a chamada fase de "estabilização", que serve para consolidar e manter a perda de peso. Dois terços dos "dukanianos" que fracassam durante o regime não chegam sequer a estabilizar. Pior: 60% atribuem a si próprios o peso dessa falha.

Sentimentos de culpa são consequências psicológicas associadas a dietas restritivas, e estão sobejamente documentadas na literatura científica. Outras incluem baixa autoestima e sintomas depressivos. Alheio a todas as críticas, Pierre Dukan apresenta o seu método como um esforço de superação: se falhar, a culpa é sua; se conseguir perder ou manter peso, tal deve-se ao mérito do autoproclamado "nutricionista mais lido de todos os tempos em França."

Teoria da conspiração e efeito ioiô
A resposta de Pierre Dukan a estas críticas e alertas é desconcertante. Em vez de refutar com argumentos, fala de uma conspiração contra si, organizada por médicos, nutricionistas e autoridades de saúde... Na Internet e redes sociais, difundiu-se a ideia de que o método tem crescido graças ao simples “passa a palavra”, sem a ajuda de campanhas promocionais. É ainda possível encontrar relatos onde se garante que os livros de Dukan são gratuitos, algo difícil de conciliar com a sua presença nas estantes mais visíveis das grandes livrarias e supermercados de Portugal e Espanha.

Os especialistas falam de "sobrecarga significativa no corpo" nas pessoas que seguem a dieta Dukan. Um terço das que fracassam volta a tentar novamente a dieta Dukan, de acordo com o inquérito da CCM Benchmark. Uma dieta viciante? É o chamado efeito ioiô: o obeso cai num ciclo vicioso em que primeiro perde muito peso num curto espaço de tempo, depois o recupera e culpabiliza-se e, finalmente, regressa para os braços do seu nutricionista e tudo recomeça.

Menos dogmas, mais realismo
A DECO desaconselha a dieta Dukan e todas as outras restritivas devido aos efeitos indesejáveis. Tal como afirma Boris Hansel, endocrinologista no hospital parisiense Pitié-Salpêtrière, "Se precisa de uma perda significativa de peso deve consultar um especialista em obesidade. Quando se trata de perder alguns quilos, há que evitar dietas restritivas e sugerir uma mudança no estilo de vida, com especial ênfase na atividade física." Atividade física moderada e progressista, que o ajude a por em forma sem perder o fôlego.

As receitas saudáveis, da campanha Comer bem é mais barato, adequam-se a todos os que privilegiam a variedade de alimentos e evitam o dogmatismo. Além disso, pode descarregar o guia Comer melhor. Para emagrecer de verdade: com saúde, sem milagres nem regressões, siga as nossas dicas sobre dietas.

Promessas por cumprir: uma questão de fé?
A incredulidade de muitos "dukanianos" faz com que sigam o seu “líder” sem dar crédito às repetidas advertências das autoridades. O endocrinologista Boris Hansel explica: "É compreensível que as pessoas procurem um tratamento eficaz a curto prazo. É tentador seguir este tipo de regimes populares e com resultados à vista rápidos. Em contrapartida, por em causa o estilo de vida é muito mais difícil, demorado e os efeitos menos espetaculares. Não é culpa das pessoas, é humano."

Os nutricionistas explicam que a eliminação de hidratos de carbono prescrita por Dukan provoca em primeiro lugar uma grande perda de água, depois massa muscular, e só no final se perde gordura.

A dieta Dukan é vendida como uma solução para o nosso estilo de vida, algo que dura "para sempre", mas a realidade é mais dura: 80% das pessoas que seguiram este regime recuperaram todo o peso perdido até 4 anos depois de o iniciar. Factos que não encaixam no milagre de Pierre Dukan.


DESCUBRA A DECO PROTESTE
DURANTE 2 MESES POR APENAS € 2

CONHEÇA AS VANTAGENS EXCLUSIVAS QUE TEMOS PARA SI

As nossas revistas Acesso ilimitado ao portal 50 especialistas ao seu dispôr
As nossas revistas Acesso ilimitado ao portal 50 especialistas ao seu dispor
Quero tornar-me associado →

Se já é nosso associado faça login no site

X
X