Rendimentos superam 10% por ano

Data da publicação: 14/12/2011

As Obrigações do Tesouro oferecem elevados rendimentos aos investidores, mas não estão isentas de riscos nem é fácil entrar no mercado da dívida pública.

Oportunidade única

As Obrigações do Tesouro (OT) estão a oferecer ganhos anuais superiores a 10%  para vários prazos e com a garantia do Estado. A crise financeira fez os investidores exigirem juros muito mais elevados para deter dívida nacional, o que tornou a compra de obrigações claramente mais rentável do que a maioria dos produtos financeiros.

Trata-se de uma oportunidade singular para obter um rendimento alto, mas com um nível de risco aceitável. Pela negativa, a falta de informação sobre as características das OT, bem como a indisponibilidade desse segmento em alguns intermediários financeiros, pode dificultar o acesso dos pequenos investidores.

 

Ao sabor do mercado

Investir em OT é muito diferente de subscrever Certificados de Aforro e do Tesouro, instrumentos que também representam dívida pública mas que estão desenhados para as carteiras das famílias portuguesas. As características específicas das OT conferem-lhe uma camada adicional de complexidade. Todavia, essa singularidade pode ser compensada com um rendimento muito mais elevado.

Enquanto os Certificados de Aforro e do Tesouro são adquiridos junto das estações do CTT ou do serviço on-line AforroNet, a compra de OT é feita num “mercado”, normalmente a bolsa, no qual se encontram compradores e vendedores e são definidos os preços. Assim, o preço de uma OT varia ao longo do tempo, ao contrário dos Certificados de Aforro e do Tesouro cujo valor é sempre de um euro e nem podem ser vendidos a outras pessoas.

Para comprar OT é necessário recorrer aos serviços de um banco ou de uma corretora. Neste aspeto, a negociação de OT assemelha-se sobretudo à forma como são transacionadas as ações.

Cada OT tem um valor nominal de um cêntimo. É sobre esse valor que incide o juro anual e é esse montante que o Estado se compromete a devolver na data de vencimento. Mas os investidores, consoante as suas expectativas, transacionam entre si as OT ao preço que consideram mais justo. Esses preços são definidos em percentagem do valor nominal.

Por exemplo, no caso da OT que se vence em setembro de 2013, uma cotação 83,62% significa que, para efetuar a compra, terá de pagar 836,2 euros por cada 1000 euros de valor nominal. Para a OT de abril 2021, pode adquirir 1000 euros por 513,9 euros, dado que a cotação ronda 51,39 por cento.

 

Ganho = mais-valia + cupão anual

Uma importante parcela do rendimento das OT provém da diferença entre o preço de compra e o valor de re-embolso. Se investiu, por exemplo, 836,2 euros, na data de vencimento receberá 1000 euros. Se aplicou 513,9 também receberá 1000 euros. Isto é, quanto mais baixa for a cotação da OT maior será o ganho absoluto do investidor. Mas quando se fala de rentabilidades não se pode esquecer o prazo. Ganhar 163,8 euros (1000 - 836,2) em menos de dois anos pode ser mais rentável do que lucrar 486,1 euros (1000 - 513,9) em quase dez anos.

Os cálculos não se ficam por aqui. Há outra vertente do rendimento das obrigações: o pagamento anual de juros. Esse valor depende só da taxa de cupão da OT. É indiferente se pagou 70%, 90% ou 110% pelas obrigações pois receberá sempre a taxa do cupão sobre 100% do valor nominal. No caso da OT que se vence em setembro de 2013, por cada 1000 euros de valor nominal, o cupão de 5,45% repesenta um encaixe anual 54,50 euros de juros antes de impostos na data de aniversário da OT, ou seja, a 23 de setembro. Por exemplo, na OT de abril de 2021, cujo cupão é de 3,85%, o ganho será de 38,50 euros no dia 15 de abril de cada ano.

Fazendo as contas às duas parcelas (cupão e mais-valia), considerando o prazo e a fiscalidade, obtém-se aquilo que realmente interessa ao investidor: o rendimento anual líquido, também designado como yield. Veja quais as Obrigações do Tesouro que apresentam os rendimentos líquidos mais elevados. Atualmente, devido à impossibilidade de financiamento do Estado nos mercados, os investidores estão mais reticentes no curto prazo, o que aumenta o rendimento dos títulos com os prazos mais reduzidos.

Para obter esses rendimentos, terá de adquirir a OT à cotação apresentada e esperar pela data de vencimento. Só nesse momento garante o re-embolso das OT pelo seu valor nominal. Se vender antes terá de sujeitar-se ao preço vigente no mercado, que poderá ser superior ou inferior ao de aquisição. Nessa eventualidade não há garantia de rendimento nem de capital.

 

Confiar no Estado

Outro pressuposto que não pode ser ignorado é o papel da República. A rentabilidade das OT só é assegurada se o Estado pagar os juros e re-embolsar o capital na totalidade. De momento, consideramos que o risco de incumprimento é reduzido, pois o programa de ajuda externa a Portugal permitirá assegurar os compromissos financeiros de médio prazo. Contudo, a instabilidade vivida na zona euro é um fator de risco que não pode ser negligenciado. Por isso, não invista mais do que 25% das poupanças em dívida pública, isto é, em Certificados de Aforro e do Tesouro e em OT.

As rentabilidades apresentadas na análise comparativa incorporam a fiscalidade prevista no Orçamento de Estado de 2012. Os rendimentos do cupão passam a ser tributados em 25 por cento. Esse imposto é retido na fonte e não tem de declará-lo ao fisco. Ao invés, as vendas e o re-embolso das obrigações têm de ser incluídos na declaração anual. A partir de 2012, as eventuais mais-valias serão tributadas em 25 por cento. Se o total das mais-valias de ações e obrigações for inferior a 500 euros está isento de IRS.

 

Invista agora

Atualmente, as OT são, sem dúvida, um dos produtos financeiros mais interessantes para a maioria dos investidores. Contudo, entrar no mundo das OT não é simples. Estes títulos possuem características que podem ser difíceis de apreender.

Se tudo isto é confuso para si, mas não quer perder a oportunidade de aplicar em OT, opte pela Conta Tesouro 2012 da Optimize. Trata-se de uma conta que permite investir facilmente em OT com maturidade até dois anos sem se preocupar com os detalhes das transações.

 

Saiba mais sobre a negociação de OT no teste prático.

Descubra o portal e a newsletter PROTESTE INVESTE,
com informação atualizada e detalhada sobre finanças e investimento.
Grátis, rápido e fácil de consultar!

Durante um mês, beneficie gratuitamente de todas as vantagens
da subscrição da PROTESTE INVESTE:
Acesso ilimitado ao portal financeiro
Acesso à linha de investimento
1 número da PROTESTE INVESTE mensal
4 números da PROTESTE INVESTE semanal

Conteúdo reservado para subscritores X

Vantagens exclusivas

  • Conselhos isentos
  • Avaliação de produtos financeiros
  • Carteiras de ações e de fundos

"Sigo os conselhos da Proteste Investe e, este ano, estou a ter uma rentabilidade de 5% na minha carteira de investimento."