Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.
ver mais sobre cookies
ok, continuar
Universo DECO:
Notícias

Placas de cozinha: indução mais económica

6 Dezembro 2013
Placas de cozinha: indução mais económica

O nosso leitor C.M. está indeciso na compra de uma placa para o fogão. Questiona qual o sistema mais económico entre a indução ou a vitrocerâmica.

As placas de indução são também vitrocerâmicas. Assim, existem placas vitrocerâmicas: de indução, com focos radiantes e hilight, com focos de halogéneo ou de gás. Os focos hilight aquecem mais rápido do que os focos radiantes tradicionais.

Teste o tacho com um íman
Regra geral, as placas de indução são um método mais económico: só consomem a energia para aquecer a superfície do recipiente em contacto. É fácil controlar o aquecimento quase instantâneo das zonas de cozedura. Contudo, o investimento inicial pode ser elevado e estas placas exigem recipientes de fundo magnético específicos, normalmente identificados com o símbolo de uma espiral na horizontal.

Antes de renovar o trem de cozinha, teste o que tem em casa: aproxime um íman do tacho e veja se é atraído. Se sim, pode usá-lo na placa de indução.  

As placas de indução e as que têm focos radiantes são fáceis de limpar e não há o risco de os recipientes tombarem. Como só as zonas de cozedura aquecem, as perdas de energia e o risco de queimadura são menores.

As placas de vitrocerâmica com focos radiantes são das mais baratas. Mas é um dos sistemas de placas mais lentos e atinge temperaturas muito elevadas. Em breve, publicaremos os resultados do nosso teste.


X